Pular para o conteúdo principal

Ingressos e Gratuidade

INGRESSOS

INTEIRA R$ 15,00
POR PESSOA

MEIA ENTRADA R$ 7,50
POR PESSOA

FORMAS DE PAGAMENTO

DINHEIRO, CARTÃO DE CRÉDITO/DÉBITO
OU VALE CULTURA

(NÃO ACEITAMOS CHEQUES)

ADQUIRA SEU INGRESSO ANTECIPADAMENTE:

MEIA ENTRADA

Estudantes.

Jovens de baixa renda, com idade de 15 a 29 anos, mediante apresentação do ID Jovem.

Pessoas com idade a partir de 60 anos.

Aposentados.

Pessoas com deficiência (meia-entrada estendida a 1 acompanhante).

POLÍTICA DE GRATUIDADE

Público em geral às quintas-feiras tem entrada gratuita

Gratuidade:

Indígenas, todos os dias.

Crianças até 7 anos, mediante apresentação de documento comprobatório.

Grupos provenientes de escolas públicas e de instituições sociais sem finalidades lucrativas que atuam com pessoas com deficiência e/ou em situação de vulnerabilidade social.

Professores, coordenadores e diretores, supervisores; quadro de apoio de escolas públicas (federais, estaduais ou municipais) e quadro da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, com apresentação do holerite do mês corrente ou anterior (impresso ou digital).*

Policiais militares, civis e da Polícia técnico-científica da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, com apresentação do holerite do mês corrente ou anterior (impresso ou digital).*

Profissionais dos Museus Estaduais, mediante apresentação do crachá.*

Profissionais da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, mediante apresentação do crachá.*

Guias de turismo credenciados. Profissionais filiados ao ICOM, mediante apresentação de carteirinha. *

Gratuidade estendida ao cônjuge ou companheiro(a), filhos e menores tutelados ou sob guarda que os acompanharem na visita.

ORIENTAÇÕES AOS VISITANTES

Para que todos aproveitem a visita, as seguintes regras e orientações devem ser seguidas:

  • O uso do adesivo de identificação é obrigatório durante a visita.
  • O museu oferece acessibilidade comunicacional bilíngue/trilíngue às exposições, mediante agendamento prévio.
  • Idosos, pessoas com deficiência, gestantes e pessoas com crianças de colo têm acesso preferencial.
  • Crianças menores de 10 anos devem estar acompanhadas pelos pais e/ou responsáveis.
  • Não é permitido beber, comer ou mascar chicletes e balas dentro das áreas expositivas do museu. Há bebedouros na área externa e áreas de apoio.
  • É permitido, somente para uso particular, fazer fotos sem flash no interior do museu.
  • Os cães-guias são liberados para circular por todo o Museu, durante o percurso do tutor. Os pets podem circular apenas na área do pátio, cães de todos os portes estão liberados para o passeio desde que na coleira junto ao tutor, o Estado de São Paulo obriga o uso de focinheira nas raças de grande porte. Siga as regras para um bom convívio.
  • Não é permitido fumar dentro do museu, conforme legislação estadual.
  • É recomendável que se evite falar ao celular durante a visitação.
  • A capacidade interna do museu é de 20 pessoas por grupo. Alcançando esse limite, os funcionários controlarão a entrada de novos visitantes, para evitar a superlotação e garantir a segurança de todos.
  • O MCI não possui estacionamento, mas a região conta com estacionamentos privados.
  • O MCI possui bicicletário e oferece serviço gratuito de guarda-volumes.
  • É permitido fotografar nas dependências do museu e das obras. No entanto, não é permitido fotografar ou divulgar imagens de pessoas sem a autorização das mesmas.
  • Não é permitido tocar nas obras sem autorização da equipe do museu.
  • Não é permitido o trânsito de crianças desacompanhadas nas dependências do museu.
  • Não é permitido correr ou brincar nas escadas.

Para além das orientações acima, também recomendamos:

  • O Museu das Culturas Indígenas não é somente um museu, é uma casa – de transformação, de saberes, de vivências – que pertence aos povos indígenas, e para a qual todas as pessoas estão convidadas. Assim como quando visitamos uma casa que não a nossa, o visitante da TAVA deve ter a mesma postura de respeito e escuta, além de abertura para sair transformado.
  • Pedimos que todos observem uma conduta respeitosa: escutar com respeito, não gritar, não debochar, não usar o celular nem interromper quando os mestres estão falando.
  • Por ser um museu onde os indígenas são os narradores de suas próprias histórias, ele permite uma interação direta entre as pessoas não-indígenas e indígenas. Nesse sentido, a interação com os Mestres de Saberes é o elemento diferencial do MCI e a parte mais importante da visita. É essencial que o visitante participe ativamente do processo de troca e construção de saberes em conjunto com os Mestres.
  • O visitante deve estar atento, contudo, há alguns tópicos que podem ser sensíveis ou difíceis de serem tratados, em especial aqueles relacionados às violências que os povos indígenas sofrem em seu cotidiano. Ao interagir com a equipe indígena do Museu, devem ser tomados cuidados com atitudes e comentários que perpetuem os mesmos estereótipos que ele tem como objetivo de desconstruir. Os Mestres não são objeto do Museu e sim educadores a quem todos devem sempre se dirigir de maneira respeitosa.
  • Além do contato direto com os Mestres de Saberes, convidamos o público a interagir também com o espaço expositivo e com as obras de maneira reflexiva. As dúvidas e sugestões provenientes da experiência de visitação podem ser comunicadas aos Mestres de Saberes e nos devidos canais de avaliação.

BUSCAR

Todos os direitos reservados © Museu das Culturas Indígenas 2023 | Desenvolvido por Inova House